terça-feira, 31 de maio de 2011

Pedras que atraem o amor...

O amor está no ar! O dia dos namorados está chegando,mas tem muita gente que ainda não encontrou o príncipe ou a princesa encantada.Aquele amor que todos nós esperamos encontrar um dia para compartilharmos nosso dia a dia, nossas alegrias e tristezas, alguém para cuidar e que cuide da gente.Se é esse o seu caso, aqui vai uma lista de cristais que atraem o amor. Mesmo que você não acredite no poder mágico dos cristais, vale a tentativa, pois não há mal algum em levar com você um cristal pequeno na bolsa ou em forma de joia.

Água Marinha

 Água Marinha: é o talismã dos amantes, do amor e da felicidade.

Coral



Coral Rosa: bom presente para a pessoa amada, o Coral Rosa traz proteção e amor, protege os relacionamentos.

Esmeralda

Esmeralda: é o cristal milagroso do amor.

Granada

Granada: guardiã do amor e da paixão e estimulante sexual.

Jade

Jade: transmite amor incondicional, coragem, sabedoria e clareza.Inspira as confidências e o equilíbrio emocional.

Quartzo-Rosa

Quartzo Rosa: abre o coração para o amor, liberta de ciúmes, culpas, raiva ou medo.

Rubi

Rubi: desperta fortes paixões e emoções.

Obrigada pela visita!

Participe de nosso sorteio! As inscrições terminam hoje!

Visite nossa loja!





segunda-feira, 30 de maio de 2011

Diamantes mais famosos do mundo III

Eureka


O adolescente, Erasmus Jacobs, quando brincava perto de sua casa, pegou uma pedrinha às margens do Orange River, África do Sul. Erasnus colocou-a no bolso de sua calça e, durante um mês, brincou com ela em diversas diversas brincadeiras.Um dia, quando brincava com sua família de um jogo conhecido como "as cinco pedras" ou cinco Marias, seu vizinho,Schalk Van Niekerk,admirando a pedra, ofereceu-se para comprá-la.O menino e sua mãe riram da oferta do amigo e recusaram-se a vendê-la e a deram a ele como presente.O ano era 1.866. O "brinquedo" de Erasmus era, na verdade, um Diamante bruto de 21,25 quilates e foi o primeiro Diamante a ser encontrado na África do Sul. Van Niekerk intermidiou a venda da pedra através de um vendedor ambulante chamado John O'Reilly. Um meneralogista determinou o valor do Diamante em US$ 2.500.O'Reilly concordou em vendê-lo e, em 1.867, Sir Phillip Wodehouse o expôx, ainda bruto, na Exposição de Paris. Quase metade de seu peso original foi perdido em sua lapidação.Em algum momento de sua história, o Eureka foi lapidado em corte oval brilhante, ficando com seu peso final em 10,73 quilates.O Eureka mudou de mãos várias vezes até que foi comprado pela De Beers Consolidated Mines e apresentado ao Parlamento da África do Sul, em Cape Town, cem anos depois que Erasmus Jacobs brincava com ele.Diferentemente de outros Diamantes famosos, o Eureka não figura na lista dos Diamantes mais significativos por seu peso ou de seu passado, mas por ter sido o primeiro Diamante a ser encontrado na África do Sul.Ele foi conhecido por muito tempo como o "Diamante O'Reilly" . Especula-se que seu nome final, Eureka, tenha sido dado por Van Niekerk, quando descobriu o que tinha em mãos.

Jonker

Jonker: Um dos maiores diamantes  encontrados, o Diamante Jonker, não foi descoberto em uma mina, mas sim, encontrado na superfície exposta no quintal de um fazendeiro, após uma chuva pesada. Jacobus Jonker era um veterano (ainda sem sorte) garimpeiro de diamante que possuía uma fazenda e apenas três quilômetros da mina Premier, na África do Sul, onde o famoso Diamante Cullinan foi encontrado. Jonker pegou um cristal incrustado de lama que acabou por ser um diamante em bruto 726 quilates. O ano era 1.934. Em poucos dias, Jonker vendeu o grande diamante bruto para o Diamond Corporation, em Joanesburgo, por US $ 315.000.Todos os cortes do Jonker foram finalmente vendidos a colecionadores particulares de gemas. O maior foi comprado pelo rei Farouk do Egito, em 1949Originalmente, o maior dos diamantes Jonker, com 142,9 quilates, tinha menos brilho  e continha, também,  uma pequena imperfeição ao longo de uma borda. Foi, então, recortado em 125,65 quilates. Dez anos depois, em 1959, descobriu-se que Farouk tinha vendido este  diamante notável para a rainha Ratna do Nepal, um pequeno Estado soberano aninhado nas montanhas do Himalaia.O  Jonker original produziu uma dúzia de diamantes de belas gemas de qualidade que hoje estão espalhados por todo o globo. Se eles pudessem falar, que interessantes histórias que poderiam contar!

Sancy

SancyO diamante Sancy é um diamante de 55 quilates de dupla face em forma de pera com uma história longa e interessante. Ele foi comprado originalmente em 1570 por Nicholas Harlai, Senhor de Sancy, enquanto ele estava viajando no Império Otomano, na Índia. diamante foi levado para a França e foi utilizado como garantia pelo rei Henrique III e Henrique IV de mercenários. Sancy pessoalmente resgatou o Diamante e vendeu-o ao rei James da Inglaterra, em 1604. Quarenta anos depois, em 1644, a  Rainha britânica Henrietta Maria, vendeu o Sancy ao Cardeal Mazarino. Quando ocardeal morreu, em 1661, quis o Sancy e 17 outras joias da coroa francesa, retornando o Diamante para a França. Em 1792, quando da Revolução Francesa, as joias da coroa da França foi roubada,sendo que a maioria foi recuperada. Mas, não o Sancy. Em 1.795, de alguma forma, oficiais franceses deram o Diamante Sancy ao Marquês da Irlanda em Madri, como garantia de um empréstimo. O Sancy nunca foi resgatado pelos franceses e se tornou propriedade dos Bourbons espanhóis. Até hoje, não se sabe como deixou a Espanha.Então, 33 anos depois, em 1828, um comerciante francês vendeu o Sancy,com 55 quilates, para a Casa da Rússia Demidoff. Ele permaneceu na Rússia até 1865, quando foi vendido para um comerciante de diamantes, desta vez da ÍndiaEm 1906, um diamante de tal descrição foi comprado por um americano, William Waldorf Astor, em Virgínia, como presente de casamento para Nancy Langhorn quando se casou com seu filho, Visconde Astor. Lady Astor usou o Sancy em uma tiara de diamantes durante a cerimônia. Em 1978, o Estate Astor vendeu o diamante para o Banco da França.Este diamante viajou o mundo e mudou de mãos várias vezes. Sancy é um diamante "cigano": foi encontrado na Índia, e viajou três vezes à França, à Inglaterra, então, de volta à Índia, Rússia, Espanha e Estados Unidos, a sua localização atual é o Museu do Louvre, em Paris, França.

Hortênsia

Hortênsia: O Rei Luís XIV foi responsável pela aquisição deste diamante deste Diamante rosa para as joias da Coroa Francesa. No entanto, o Hortênsia não foi um dos diamantes que o rei tinha comprado de Jean Baptiste Tavernier, porque a maior pedra dessa cor específica que ele trouxe de volta da Índia e pesava apenas 14  quilates. O Hortênsia ocupava o terceiro lugar entre os Diamantes listados no inventário das joias da Coroa Francesa, feito em 1.691.O Diamante, que pesa 20 quilates, é pálido rosa-alaranjado,bastante plano e em forma retangular e é cortado em cinco partes. No inventário de 179, as joias da Coroa, foi avaliado em mais de 48 mil libras por conta de uma rachadura que se estende desde a borda da cintura para perto do culet. Ela leva o seu nome de Hortense de Beauharnais, Rainha da Holanda, sem dúvida, porque ela o usava com frequência. Hortense foi a filha da Imperatriz Josefina, a enteada de Napoleão Bonaparte e mãe de Napoleão III.O Hortênsia estava entre as joias roubadas da Meuble Garde em setembro de 1792. Um ano mais tarde, foi recuperado a partir do sótão de uma velha casa no bairro de Halles,em  Paris. O Diamante Regent estava com ele, assim como uma série de outras joias. Depyron, um homem que estava prestes a ser executado,  divulgou que ele o havia escondido em uma bolsa contendo ouro e outros Diamantes, incluindo o Regente.Durante o Primeiro Império, o  Hortênsia foi usado por Napoleão. Mais tarde, foi colocado no centro no pente feito pelo joalheiro Bapst, para a Imperatriz Eugénie, em 1856. Em meados de 1830, o Diamante foi roubado novamente, desta vez do Ministério da Marinha, mas foi rapidamente recuperado.Quando as joias da coroa francesa foram vendidas em 1887, o Hortensia foi um dos itens excluídos, junto com o Regente, devido ao seu interesse histórico e artístico. O diamante Sancy  se juntaria a eles no Museu do Louvre até um pouco menos de um século depois.



Fontes: famousdiamonds.tripod.com, Google Images, International Diamond Center

Obrigada pela visita!

Participe de nosso sorteio!
Visite nossa loja:


O Diamante Grande Mogul e o Koh-I-Nor

Grande Mogul, esboço.


Grande Mogul: Jean Baptiste Tavernier escreveu que, em 1º de novembro de 1.665, ele foi chamado ao palácio em Delhi, Índia, onde lhe mostraram um magnífico Diamante "rosado, redondo e muito alto de um lado".Em outra anotação, Tavernier escreveu que o Diamante tinha, também, " a forma de um ovo cortado ao meio".Ele disse que o Grande Mogul tinha 280 quilates mas que, quando foi encontrado, em sua forma bruta, tinha 793 quilates.Existe uma história intrigante sobre essa enorme diferença. Encontrado por volta de 1.650 em Gani, Índia, foi entregue ao marajá Shaw Jehan em 1.655.Jehan manteve o Diamante intacto mas seu filho, Aurangzeb, contratou Hortesio Borgio para lapidá-lo. Para reduzir certas falahas internas, Borgio reduziu o  Diamante em quase 2/3 de seu peso original. Arangzeb, irritado com tanta perda, recuzou-se a pagar Borgio e ainda cobrou dele uma multa de 10 mil Rúpias. Nidar Shaw saqueou o Tesouro Indiano em 1.739 e, aparentemente, levou o Grande Mogul para a Pérsia.Em 1.747, Nidar Shaw foi assassinado e seu tesouro Persa, rapidamente, desapareceu.Não há nenhuma documentação que ateste  o reaparecimento do Grande Mogul desde qaulea época.Acredita-se que ele tenha sido novamente cortado para apagar vestígios que o pudessem identificar.Existem teorias que o associam aos Diamantes Orloff, Koh-i-Nor, Darya-i-Nur, Nur-ul-Ain e Taj-E-Mah, mas não existe nada que comprove essas associações.Essas dúvidas permanecem em relação ao Diamante Orloff que possui a mesma forma e descrição, mas com menos quilate.O Grande Mogul era da mesma forma, mas muito maior do que o Orloff.Ambos teriam o formato de um ovo cortado ao meio e uma grande superfície plana. O Grande Mogul, se tinha mesmo 793 quilates, seria, de fato, um Diamante muito especial, se sobrevivido intacto.Se nunca tivesse sido cortado em pedras menores, certamente estaria entre os 10 mais fabulosos Diamantes que existem.

Koh-I-Nor na Coroa Real Britânica 


Koh-I-Nor: a primeira menção que se fez a esse Diamante aparece nas Memórias do Sultão Baber, o fundador da Dinastia Mogul, em maio de 1.526.O Koh-I-Nor, ou Montanha de Luz, tem a mais longa história entre todos os Diamantes famosos.Reconhecido, pela primeira vez, nos teouros do Rajá de Malva, em um estado pequeno ao sul de Delhi, é um Diamante indiano com peso original de 186 quilates e, por mais de 400 anos, este Diamante foi mantido pelo Império Mogul.Em 1.739, Nidar Shaw inavdiu a Índia e saqueou  todos os tesouros do país. O Koh-I-nor não foi encontrado. Shaw ouviu  história sobre uma das mulheres do harém que havia escondido o Diamante no turbante do soberano Mogul, mantendo-o em segurança. Aproveitando de um costume oriental, Nadir Shaw convidou seu prisioneiro para um banquete e propôs uma troca de turbantes.Recusar seria morte na certa.Depois da festa, Nadir desfêz o silk e o Koh-I-Nor rolou pelo chão.Assim que viu o Diamante, Shaw gritou: "Koh-I-Nor" ou Pedra Bonita e, assim, o Diamante foi batizado.Depois da Inglaterra anexar a Índia a seu Império, o Koh-I-Nor foi dado à Rainha Vitória e, desde então, ele aparece de vez em quando em ocasiões solenes da realeza britânica há mais de cem anos. O Koh-I-Nor tinha, originalmente, 186,16 quilates e foi moldado, posteriormente, em várias formas diferentes. Após muitas tentativas de trazer mais vida para o cristal, o Koh-I-Nor, acabou pesando 105,6 quilates e tendo a forma oval. Está na Real Coroa Inglesa, guardado na Torre de Londres junto com as outras joias da Coroa Britânica.

Fontes: Google Images, International Diamond Center

Obrigada pela visita!

Participe de nosso sorteio!

Visite nossa loja!

sábado, 28 de maio de 2011

Os Diamantes mais famosos do mundo II

Elizabeth Taylor


O Diamante que a atriz Elizabeth Taylor ganhou de seu quinto marido, o ator americano Richard Burton, não falta em nenhuma das listas de Diamantes mais famosos, belos ou valiosos que existem. Em 1.969, Richard Burton pagou cerca de US$ 1.100 mil pela pedra que foi encontrada na mina Premier, na África do Sul. Originalmente, o Taylor-Burton pesava, em sua forma bruta, 240,8 quilates e, quando Richard Burton o comprou, já lapidado em forma de pera, tinha 69,42 quilates. Seu primeiro dono foi Harry Winston, de Nova York. Quando a pedra chegou aos Estados Unidos, Winston e o Pastor Colon Jr, fizeram um exaustivo estudo sobre aquele Diamante, que durou seis meses. Os dois decidiram cortar a pedra em duas partes, uma maior de 162 quilates e a outra menor de 78, sendo esta última, a que deu origem ao famoso Taylor-Burton, depois de lapidada. Em 1.967, a Harry Winston Inc. vendeu a pedra para Harriet Annenberg Ames, irmã do então embaixador dos Estados Unidos no Reino Unido, Walter Annenberg.Mas, Harriet se sentiu sempre incomodada em usar o Diamante que, naquele tempo, estava incrustrado em um anel. Tinha medo de ser roubada e por isso, dois anos depois de comprá-lo, ela o colocou em um leilão da Park-Bernet Galleries.A notícia correu os noticiários da época e muito se especulou sobre os possíveis compradores. Durante o leilão, aconteceu uma coisa interessante. Ao lado de Richard Burton na briga para adquirir a joia estava nada mais, nada menos que Harry Winston, o primeiro proprietário da pedra.Mas, Burton estava disposto a pagar qualquer quantia pela joia para presentear sua amada.

Richard Burton e Elizabeth Taylor


O ator, então, entrou em contato com agentes da Cartier que intermediaram a venda. Realizada a transação, as partes envolvidas concordaram em dar o nome Taylor-Burton ao Diamante. Quando foi posto em exposição, estima-se que em torno de seis mil pessoas foram ver a fascinante joia.Elizabeth Taylor acoh que a pedra era grande demais para ser um anel e decidiu colocá-la em um colar desenhado por Cartier que cercou a pedra principal de vários diamantes menores, também em forma de pera.Elizabeth Taylor apareceu , publicamente, pel primeira vez com o colar no aniversário de 40 anos da Princesa Grace Kelly, em Mônaco.Ela usava a joia com frequência e, em 1.970, combinou com o colar o também famoso anel com o Diamante Krupp. 


Obrigada pela visita!

Participe de nosso sorteio!

Visite nossa loja:






Novidades Pura Joia!



Brinco indiano em prata com Kunzitas.